Uma manifestação em apoio à vereadora Carla Pimentel (PSC) marcou a volta das atividades da Câmara Municipal de Curitiba nesta segunda-feira (19). A sessão foi a primeira depois do caso de agressão envolvendo o Professor Galdino (PSDB) na última quarta-feira. Ele não compareceu à sessão.

No início da sessão, a vereadora leu algumas mensagens de apoio recebidas por redes sociais e divulgou uma mensagem do presidente do Partido Verde (PV) na executiva estadual, Francisco Caetano Martin. Nela, o político reafirmava que Galdino foi expulso do partido após um caso de assédio sexual.

Depois do discurso, Carla saiu do plenário para conversar com alguns manifestantes. “Estou bem abalada ainda, mas fiquei feliz por ver os vereadores e funcionários, servidores da Câmara, me apoiando. Só o fato das meninas terem vindo de preto, foi muito tocante”, disse a vereadora, que também estava com uma camisa preta com a hashtag estampa: “mexeu com uma mexeu com todas”.

A vereadora também ajudou uma senhora que foi vítima de violência e estava presente no local. “Ela ouviu a mobilização que fiz em defesa da mulher. Ela foi vítima e agora não sabia para onde ir. Nós mulheres, quando sofremos com esses casos não sabemos muito para onde recorrer e fomos ajudar nesse sentido”.

Aguardando o prosseguimento do caso dentro da Câmara, Carla pediu à Mesa Diretora da Câmara pela instauração da Comissão processante. A partir desta segunda, a Mesa terá cinco dias úteis para anunciar o veredicto sobre a denúncia contra Galdino. Depois, alguns vereadores demonstraram apoio a Carla e o presidente da sessão, Felipe Braga Côrtes, deu início às atividades propostas na agenda da Casa.

Ausência de Galdino na Câmara

Professor Galdino tem até dois dias para justificar sua ausência da Câmara Municipal nesta segunda-feira. O dia também conta com a votação sobre a justificativa dada pelo vereador pela sua ausência do dia 14, quando estava prestando depoimento na Delegacia da Mulher. Galdino informou que estava em uma atividade inerente ao seu mandato.

O caso

Professor Galdino foi acusado de agredir a vereadora Carla Pimentel durante discussão em sala anexa ao plenário da Câmara Municipal de Curitiba, na última quarta-feira (14). Após a confusão, os dois foram encaminhados para a Delegacia da Mulher. No local, a delegada Waleska Souza Martins ouviu Carla e Galdino, além dos vereadores Bruno Pessuti (PSD), Jhonny Stica (PDT) e Rogério Campos (PSC), que presenciaram a agressão. Galdino deixou o local após assinar um Termo Circunstanciado (TC) por “vias de fato” e “importunação ofensiva ao pudor”.