Embora tenha a diretriz de lançar candidatura própria em todos os municípios possíveis, o PSD do Paraná ainda depende de uma resposta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acerca do tempo de TV do partido para saber se será viável lançar candidato nas grandes cidades do Estado.

O presidente estadual do partido, Eduardo Sciarra, que defende que ‘partido que não disputa o poder não é partido de verdade‘, disse que assim que o PSD tiver definido seu número final de deputados federais (o prazo para a troca de partido sem cair na fidelidade partidária acaba dia 27), entrará com um recurso no TSE para pedir tempo de TV.

Isso porque pela Legislação eleitoral, o tempo de TV é repartido de acordo com o número de deputados federais eleitos por cada legenda. Partido novo, o PSD não elegeu nenhum deputado na eleição passada, mas já conta com 52 parlamentares, o que daria o terceiro maior tempo. ‘Vamos provocar o TSE. É um fato novo. Com a criação do partido, poderemos conquistar esse tempo de TV‘, comentou.

Sciarra reconheceu que, sem tempo de TV será difícil a legenda se cacifar para as majoritárias nas cidades com mais de 200 mil eleitores ou com emissoras próprias de TV, onde o horário eleitoral é obrigatório. ‘Só com a resposta do TSE é que poderemos definir nossos candidatos. A exceção é São José dos Pinhais, onde temos o prefeito, Ivan Rodrigues, e vamos para a reeleição de qualquer jeito‘, disse o presidente do partido, que promete candidatura própria, em caso de vitória no TSE, em Londrina, Maringá, Ponta Grossa e Cascavel, pelo menos.