O presidente estadual do PSDB e vice-prefeito de Curitiba, Beto Richa, disse que o partido está aberto para o ex-governador Jaime Lerner, que pretende deixar o PFL. Lerner telefonou a Beto e comunicou sua intenção de entrar no PSDB, logo depois de ter conversado com o presidente da Assembléia Legislativa, deputado estadual Hermas Brandão, na quarta-feira.

Beto, que teve o apoio do ex-governador na campanha eleitoral do ano passado para o governo, sugeriu a Lerner que se filie ao partido por Brasília. A justificativa tucana é que, na condição de ex-governador, Lerner tem status para ingressar no partido por meio do diretório nacional. Até porque, conforme informou o pefelista a Beto Richa, o convite para ingressar no partido foi feito pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Ao que tudo indica, falta apenas as lideranças formalizarem publicamente o convite para que o ex-governador se filie ao partido.

O dirigente estadual tucano afirmou que não há resistências no Paraná à entrada de Lerner ao PSDB. “Da mesma forma que não colocamos nenhum veto para a entrada do senador Alvaro Dias no partido, isso vale também para o ex-governador. Não temos restrição nenhuma a sua filiação. Se é para somar, todos são bem-vindos”, disse.

Beto disse que não há qualquer conflito de interesses entre ele e Lerner. O presidente estadual do PSDB é pré-candidato à sucessão do prefeito Cassio Taniguchi (PFL) no próximo ano. Aliados de Lerner dizem que o ex-governador também tem esta pretensão, embora uma versão difundida recentemente é que ele pode concorrer à prefeitura do Rio de Janeiro. “Eu não formalizei a minha candidatura e, se por acaso vier a ser candidato, não será por imposição. Na política, as coisas acontecem naturalmente e são fruto de um trabalho”, afirmou Beto.

Persistente

A acolhida do PSDB a Lerner faz parte da nova fase do partido. Em 1997, o ex-governador tentou ingressar no PSDB e foi rejeitado pelo diretório estadual que, à época, era comandado pelo senador Alvaro Dias. Se o ex-governador confirmar sua filiação, irá conviver com seu outrora adversário