Em Curitiba, o vice-prefeito Beto Richa (PSDB) será confirmado amanhã (13), durante a convenção estadual do partido, candidato a governador.

O PSDB é a primeira legenda paranaense a oficializar candidato a governador. Os tucanos devem deixar a cargo da executiva estadual as negociações em torno de coligações, principalmente com o PFL e o PPB. As siglas coligadas ocupariam as vagas de vice-governador e senador.

O PFL tem encontro marcado para sábado (15), que pode determinar uma divisão na agremiação. Os principais líderes do PFL, como o governador Jaime Lerner, o prefeito Cássio Taniguchi e o presidente regional do partido, João Elísio Ferraz de Campos  defendem uma aliança com o PSDB. Nesse caso, o PFL apresentaria um nome para concorrer a vice-governador, além da vice-governadora Emília Belinati a das duas vagas no Senado.

De outro lado, o deputado federal Rafael Greca (PFL) insiste em manter a pré-candidatura a governador, alegando que Beto Richa é ?inofensivo? para enfrentar os pré-candidatos Álvaro Dias (PDT) e Padre Roque Zimmermann (PT). Apesa da disputa no PFL, o PSDB distribuiu um convite para um  almoço sexta-feira (14), no qual pretende consolidar ?o início de uma grande união de partidos – PSDB, PFL, PPB, PSL e outros que ainda se somarão?.

O PPB, que foi incluído no convite como participante da coalizão, também não se definiu e informa não ter autorizado a inclusão. O presidente regional da legenda, deputado federal José Janene, exige exclusividade no nome do deputado estadual Tony Garcia como candidato a senador, numa possível chapa liderada pelo vice-prefeito de Curitiba.  ?O quadro ainda está muito nebuloso?, avaliou Janene. ?Eles (PSDB) estão forçando a aliança.? O PPB faz convenção, provavelmente, no dia 30.