O PSDB realiza, no final da manhã desta segunda-feira (18), em Poços de Caldas (MG), um ato político para comemorar os 30 anos da “Declaração de Poços de Caldas”, apontada como o primeiro documento público do Movimento das Diretas Já, divulgado em 19 de novembro de 1983 na cidade mineira pelos então governadores Tancredo Neves, de Minas Gerais, e Franco Montoro, de São Paulo.

Além de defender a autonomia de estados e municípios, o evento tenta fortalecer o nome do senador Aécio Neves (PSDB-MG) como o possível candidato tucano à sucessão de Dilma Rousseff (PT).

São esperados oito governadores e lideranças do PSDB no evento, que será ainda o primeiro após as prisões dos adversários petistas envolvidos no mensalão. Além de Aécio, devem participar do encontro os governadores Geraldo Alckmin (SP), Antonio Anastasia (MG) e Beto Richa (PR) e o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, entre outros.

Assinada em 19 de novembro de 1983, a “Declaração de Poços de Caldas” tem quatro pontos e, já no primeiro, fala em “empenhar-se juntamente com os governadores de todos os estados, numa campanha nacional pela eleição direta do presidente da República”.

No segundo ponto, a proposta é que “se engajem nessa campanha, assinando manifesto à nação, além dos governadores, todos os congressistas, deputados estaduais, prefeitos, vereadores e representantes dos diferentes segmentos da sociedade civil”.

No terceiro item, a “Declaração de Poços de Caldas” prevê que a campanha nacional pela eleição direta do presidente “tenha caráter suprapartidário”. O último ponto do documento aponta que não se deveria “cogitar, por enquanto, candidaturas à presidência da República, para não enfraquecer a luta pela eleição direta”.