Os coordenadores da campanha presidencial de Dilma Rousseff (PT) anunciaram hoje, ao conselho de partidos políticos que compõem a coligação, que o PMDB ampliará sua participação na disputa. No entanto, não detalharam de que forma esse espaço será ampliado. Titular da vaga de vice na chapa petista, o PMDB se ressente de ter sido subaproveitado no primeiro turno da campanha.

A atuação mais incisiva do PMDB foi decidida na manhã de hoje, numa reunião da qual participaram Dilma, o presidente do PMDB e vice na chapa petista, Michel Temer, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, e o deputado José Eduardo Cardozo.

Peemedebistas próximos a Temer reclamam que o partido foi alijado de decisões relevantes sobre a estratégia de campanha e a propaganda eleitoral. O ex-governador do Rio de Janeiro Moreira Franco foi indicado para representar o PMDB na coordenação da campanha. No entanto, sua participação limitou-se, até então, à elaboração do programa de governo de Dilma, que se revelou um documento inacabado.

“O PMDB teve uma participação ativa no primeiro turno”, minimizou José Eduardo Cardozo. Mas ele admite que a participação do partido vai se intensificar a partir de agora. Participaram da reunião do conselho político o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, o secretário-geral do PDT, Manoel Dias, o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), e o líder do PTB, senador Gim Argello (DF).