O PT e o PSOL começaram a se mobilizar para tentar impedir a eleição do pastor Marcos Feliciano (PSC-SP) para presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. O pastor foi indicado nesta terça-feira pela bancada do PSC. “É uma desmoralização do Parlamento se ele for eleito. Isso vai criar uma crise”, afirmou a deputada Érica Kokay (PT-DF), que promete votar contra o indicado do PSC. “Vamos fazer uma guerra”, prometeu o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ).

O anúncio do nome do deputado foi feito pelo líder do PSC na Câmara, André Moura (SE). Em entrevista, Feliciano negou ser racista e homofóbico e se comparou a Martin Luther King, pastor norte-americano e defensor de direitos humanos. Marcos Feliciano protagonizou polêmica, em 2011, ao dar declarações sobre negros e homossexuais.

A eleição para a presidência da Comissão está prevista para ocorrer nesta quarta-feira (6) à tarde.