O PT de São Paulo deve entrar na segunda-feira com uma representação no Ministério Público eleitoral do Estado pedindo investigação sobre o afastamento, na semana passada, do diretor de jornalismo da TV Cultura, Gabriel Priolli. De acordo com o senador e candidato a governador Aloizio Mercadante, há indícios de ingerência por parte do governo na emissora. “Os indícios que estamos vendo são de um aparelhamento partidário na TV Cultura. Existem todos os indícios de que uma reportagem sobre um tema incômodo ao PSDB levou ao afastamento de Priolli”, disse Mercadante.

Prioli permaneceu durante uma semana como diretor de jornalismo da TV Cultura e teria sido afastado, segundo notícias publicadas na imprensa, por pautar uma reportagem sobre as tarifas de pedágio nas estradas paulistas. Para a reportagem foram ouvidos os candidatos ao governo Mercadante e Geraldo Alckmin (PSDB), mas a notícia não foi ao ar.

“A população inteira está discutindo a questão dos pedágios, todos os veículos de comunicação estão falando deste assunto. Tirar da função o diretor por estar pautando um tema absolutamente legítimo é inaceitável. A reportagem da TV Cultura não era unilateral, não havia nenhum posicionamento”, afirmou Mercadante. O candidato ressaltou ainda a importância de os envolvidos no episódio serem ouvidos. “Só quem pode controlar um veículo de comunicação é o ouvinte, o telespectador e o leitor. É fundamental que a demissão seja apurada e que os envolvidos sejam ouvidos.”