As lideranças petebistas não têm a intenção de acolher a proposta, apresentada na reunião de ontem com a direção estadual do PDT, de aceitar a formação de duas chapas – uma de candidatos a deputado federal e outra de candidatos a deputado estadual – lideradas cada uma pelos dois partidos junto com outras pequenas legendas.

Apesar desse posicionamento, o PTB decidiu ser diplomático e prometeu dar uma resposta ao PDT, até a próxima semana.

Na conversa de ontem, da qual também participou o pré-candidato ao governo, o senador Álvaro Dias (PDT), o presidente estadual do PTB, deputado estadual Valdir Rossoni, adiantou que o interesse do seu partido é fazer uma coligação proporcional com o PDT. No seu entendimento, as chapas podem até ser divididas em dois blocos, mas desde que PDT e PTB estejam juntos em pelo menos um deles. “Nós vamos trabalhar pela candidatura ao governo. Logo, também queremos usufruir dos votos de legenda”, justificou.

A posição de Rossoni, porém, vem enfrentando resistências de pré-candidatos do PDT, que temem ver reduzidas suas possibilidades de vitória caso as duas legendas se juntem numa chapa única para a disputa proporcional. Esse grupo defende que o PDT e o PTB se aliem apenas na disputa majoritária, em torno da candidatura de Álvaro Dias ao governo.

Resolução

Independente de o PTB aceitar ou não a proposta, a coligação proporcional entre os dois partidos está praticamente garantida, na avaliação de Álvaro e Rossoni. Eles se sustentam numa resolução aprovada pelas direções nacionais dos dois partidos determinando que os diretórios estaduais petebistas e pedetistas devem formalizar coligações majoritárias e proporcionais em suas convenções. Essa posição deve ser reiterada na convenção nacional da Frente Trabalhista, que inclui também o PPS, marcada para a próxima segunda-feitra (dia 10), em Brasília. No dia 12, as dire-ções estaduais dos dois partidos voltam a se reunir em Brasília para selar o acordo.

“A coligação será referendada de uma forma ou de outra. Se o PTB não aceitar a proposta, voltamos ao acordo original, do chapão único”, explicou Rossoni. O deputado afirmou que, no encontro de ontem, não entraram em discussão as indicações para a candidatura a vice-governador. “Nós queremos, em primeiro lugar, fechar essa questão da coligação”, comentou o presidente estadual do PTB.