O presidente estadual do PV em São Paulo, Maurício Brusadin, informou na tarde de hoje que determinou a abertura de investigação interna para averiguar a presença de prefeitos da sigla em evento da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, ontem, em Campinas (SP). A presidenciável foi prestigiada por uma plateia de 117 prefeitos de cidades do interior paulista, que se identificaram como integrantes de um movimento em defesa da candidatura da petista. Entre as autoridades municipais, declararam apoio a Dilma 25 prefeitos do PSDB, nove do DEM e oito do PV – partidos adversários do PT na campanha eleitoral.

Brusadin antecipou que, caso seja constatada a participação de prefeitos do PV no evento, serão aplicadas sanções como a suspensão da filiação partidária e até expulsão da legenda. O presidente do PV avaliou como “inaceitável” o apoio de um integrante da sigla a um adversário da candidata do PV à sucessão presidencial, Marina Silva. “Pela relevância do assunto em pleno período eleitoral, o PV-SP tratará a questão com todo o rigor e a maior celeridade possível”, assegurou.

Em março deste ano, após pressões da Executiva Nacional, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, pediu afastamento da legenda para apoiar a candidatura de Dilma ao Palácio do Planalto. Antes de anunciar a decisão, Ferreira chamou Marina Silva de “conservadora” e criticou a aliança entre PV e PSDB em torno da candidatura de Fernando Gabeira (PV-RJ) ao governo do Rio de Janeiro.