Uma salada mista. Para os aliados, saborosa; para adversários, bem indigesta. Assim pode ser descrita a composição da base de apoio – política e técnica – de Ratinho Junior (PSD) na disputa ao Palácio Iguaçu. Dissidente do governo de Beto Richa (PSDB) e com um currículo marcado por vitórias e derrotas – foi eleito duas vezes deputado estadual e duas vezes deputado federal, todas com votações históricas, mas perdeu a prefeitura de Curitiba para Gustavo Fruet (PDT) no segundo turno em 2012 –, o candidato a governador reuniu um grupo que vai de lideranças com forte expressão regional a personagens com atuações em vários governos, muitos deles com posições político-ideológicas antagônicas.

Nesse cardápio diversificado, entram nomes como o de Reinhold Stephanes, o personagem da política paranaense que mais vezes foi ministro e secretário de Estado. Stephanes esteve nos governos da ditadura militar, do tucano FHC, de Fernando Collor e do petista Lula. No estado, trabalhou com Roberto Requião (MDB) e também com seu oponente, Beto Richa.

Atuou em áreas diversas, da Previdência Social passando por Trabalho, Agricultura, Administração até Planejamento. Com toda essa capacidade de “jogo de cintura”, o ex-ministro foi escolhido por Ratinho Junior como responsável pelo plano de governo.

No menu se destaca ainda Norberto Ortigara, nomeado coordenador político, aquele que, teoricamente, tem a função de fazer a articulação no universo político-partidário da disputa. Ortigara foi um aliado do ex-governador Beto Richa (PSDB) desde quando o tucano estava na prefeitura de Curitiba. Chegou a ser cogitado para vice de Ratinho Junior, mas perdeu a vaga para Darci Piana, ator com trânsito no setor empresarial e com passagem pelo mundo do futebol.

“O trabalho começou em março do ano passado com reuniões regionais, em diversas localidades do estado. Vieram pessoas de universidades, políticos com mandato e sem mandato, gente que exerceu cargos públicos, empresários, líderes de movimentos sociais. Hoje temos coordenadores políticos em todas as regiões, todos que se apresentaram voluntariamente”, conta Hudson José, coordenador de comunicação da candidatura de Ratinho Junior.

+Leia mais: Nova pesquisa dá vitória no 1º turno para Ratinho Jr no Paraná

No grupo de técnicos foram reunidos cerca de 200 nomes com atuação em várias áreas. “Procuramos identificar pessoas que não são conhecidas politicamente, mas que são técnicos, que possuem conhecimento aprofundado em áreas específicas. Outras pessoas de perfil técnico se apresentaram voluntariamente. A partir daí foi feito um trabalho de levantamento de dados, análise de documentos fornecidos por vários órgãos. O trabalho durou mais de quatro meses até chegarmos à proposta final”, relata Stephanes ao explicar como foi elaborado o plano de governo.

Na área política estão nomes pouco conhecidos da maioria da população do estado, mas que são lideranças de forte presença regional. Alguns desses políticos contrariaram seus próprios partidos e migraram para o lado de Ratinho Junior.

É o caso de Ulisses Maia, prefeito de Maringá. Filiado do PDT – partido que está na coligação de João Arruda (MDB) –, Maia aderiu recentemente ao candidato do PSD. A exemplo de Maia estão outros 217 prefeitos, muitos deles de cidades populosas, como Cascavel, Ponta Grossa, Guarapuava e Foz do Iguaçu.

E entram ainda figurinhas carimbadas, como Rubens Bueno (PPS) e Ademar Traiano (PSDB), que não embarcou na candidatura de Cida Borghetti (PP), apesar de seu partido integrar a coligação da governadora. Traiano é o atual presidente da Assembleia Legislativa e foi citado nas operações Lava Jato, da Polícia Federal, e Quadro Negro, em âmbito estadual.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Trabalho de composição

“A composição política vem sendo feita desde as últimas eleições, quando elegemos um grande grupo de deputados, prefeitos e vereadores. Depois disso, novas lideranças e partidos aderiram ao nosso projeto”, afirma Ortigara. Sobre a formação do governo, o coordenador político diz que é prematuro. “A ordem do Ratinho é soberba zero. Só depois dos resultados das urnas é que vamos pensar, mas não terá cargo como moeda de troca”, ressalta.

Nas contas de Hudson José, os prefeitos que apoiam abertamente Ratinho Junior hoje representam cidades com cerca de 5,4 milhões de habitantes. “Em cidades importantes nas quais os prefeitos não estão com a nossa coligação, há líderes com forte representação popular. Um exemplo é Londrina, onde o ex-prefeito Alexandre Kireeff está no nosso time”, cita Hudson. Kireeff é filiado do Podemos, partido de Alvaro Dias, candidato a presidente da República.

Sobre Curitiba, cidade com maior número de eleitores do estado, Hudson José diz que Ratinho Junior conta com base eleitoral própria, já que disputou a prefeitura da capital e chegou ao segundo turno, além da base de Ney Leprevost, adversário de Rafael Greca (PMN) nas últimas eleições.

“Não tem nenhum acordo sobre cargos, não tem moeda de troca. No grupo não está em discussão nomes para o primeiro escalão do governo nem para o segundo ou terceiro escalões. O Ratinho Junior fica com liberdade para montar a equipe”, ressalva Hudson.

+Leia mais: Sem apoio de Bolsonaro, candidato do PSL no Paraná tem candidatura barrada pelo TRE

O time de Ratinho Junior

Alguns dos principais nomes da equipe que dá apoio político e ao plano de governo do candidato Ratinho Junior (PSD):

Darci Piana 

Empresário, presidente licenciado do Sistema Fecomércio no Paraná e coordenador do G7 – grupo empresarial paranaense. Além de candidato a vice-governador, compõe a equipe técnica e faz ponte com o setor empresarial, especialmente da área do comércio. É economista, foi presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Veículos, Peças e Acessórios no Estado do Paraná (Sincopeças), da Cooperativa de Crédito do Sincopeças/PR (SINCOCRED), do Conselho do Paranacidade e do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR. Tem ainda ligação com o mundo do futebol e presidiu o Paraná Clube (1992/1993).

Reinhold Stephanes

É o coordenador do plano de governo de Ratinho Junior e integrante da base de apoio do candidato com maior participação nos governos federal e estadual. Na esfera federal passou por governos que vão da ditadura militar até do ex-presidente Lula. No Paraná, trabalhou com os ex-governadores Roberto Requião e Beto Richa, adversários políticos.

Atuou no Ministério da Agricultura durante oito anos, no início dos anos 1970, em pleno governo militar, e foi secretário da Agricultura do Paraná entre 1979 e 1981. Foi deputado federal seis vezes: 1979-1983, pela extinta Arena, de 1983-1987, pelo PDS, de 1991-1995 e 1995-1999, pelo PFL; 2005-2006 e 2007-2011, pelo PMDB. Foi diretor do INCRA (1970 – 1973) e coordenador da comissão de criação da Embrapa e presidente do INPS e do Instituto Nacional da Previdência Social (Inamps), atual INSS, entre 1974 e 1979, durante o governo Geisel; ministro do Trabalho e Previdência Social (1992) e ministro da Previdência e Assistência Social (1995-1998). No Estado do Paraná, foi secretário de Administração (2003 – 2004) e secretário de Planejamento e coordenação-geral (2005 – 2006).

Em 22 de março de 2007, foi nomeado Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do segundo governo Lula. Em 2016 assumiu a Secretaria de Estado no governo Beto Richa.

Norberto Ortigara

É o coordenador político da campanha de Ratinho Junior. Acompanhava o ex-governador Beto Richa (PSDB) desde quando tucano estava na Prefeitura de Curitiba. Foi secretário municipal de Abastecimento e depois, com a eleição de Richa para o governo do estado, assumiu a Secretaria da Agricultura, da qual era funcionário de carreira desde 1978. Em abril deste ano se filiou ao PSD, partido de Ratinho, e foi cogitado para ser vice, vaga que ficou com Darci Piana.

Eugenio Stefanelo

Engenheiro Agrônomo e doutor em Engenharia de Produção, é especialista em política agrícola e professor nos cursos de graduação e pós graduação do Centro de Ciências Agrárias da UFPR, da FAE Centro Universitário, da UTFPR (Campus de Pato Branco) e da Unoesc. Foi presidente nacional da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná. Também atua na mídia. É apresentador do programa diário “Negócios da Terra” na Rede Massa (SBT do Paraná), de propriedade da família da Ratinho Junior, e no SBT de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Franklin Miguel

Engenheiro elétrico e advogado, doutor em Sistemas de Potência pela USP (2016) e mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997), trabalhou por mais de 20 anos na Copel, empresa em que ocupou cargos de gerente, superintendente, assessor, diretor-adjunto e diretor presidente. É professor de pós-graduação pela FGV e Universidade Positivo no MBA Gestão do Setor Elétrico.

Antonio José Correia Ribas

Engenheiro-civil, é ex-diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), ex-presidente da Associação Brasileira dos DERs, ex-diretor presidente da Agência Reguladora do Paraná (Agepar), implantada em 2012 com a função de regular e fiscalizar os contratos das rodovias do Anel de Integração do Paraná, concedidas à iniciativa privada, além da regulação do transporte rodoviário coletivo intermunicipal de passageiros e das travessias marítimas, fluviais e lacustres (em especial da travessia da baía de Guaratuba pelo sistema de ferry boat).

Exerceu ainda o cargo de diretor-geral brasileiro da Itaipu entre 2002 e 2003, na passagem do governo FHC para Lula.

Ulisses Maia

Atual prefeito de Maringá, é um trunfo de Ratinho na disputa com Cida Borghetti (PP) e João Arruda (MDB). Isso porque Maia é filiado do PDT – partido que está na coligação de Arruda – e foi um dos fortes aliados da família Barros (de Cida), com quem rompeu em 2015. Foi vereador e presidente da Câmara Municipal de Maringá.

Leonaldo Paranhos

Prefeito de Cascavel, reforça o time de lideranças com projeção regional que apoiam Ratinho. Filiado ao PSC, partido da coligação de Ratinho, foi deputado estadual e um dos fieis aliados do senador Roberto Requião (MDB) quando este era governador. Foi nomeado duas vezes por Requião para presidir o Instituto de Pesos e Medidas (IPEM).

Alexandre Kireeff

Médico veterinário, agropecuarista e empresário, foi prefeito de Londrina entre 2012 e 2016. Foi presidente da Sociedade Rural do Paraná. Filiado ao Podemos, de Alvaro Dias, é o coordenador político regional de Ratinho Junior na segunda maior cidade do estado.

Candidato ao governo, Ratinho Jr. participa de sabatina nesta tarde; assista!