Um grande número de políticos e autoridades compareceu ontem à tarde ao saguão da Assembléia Legislativa, onde foi lançado o livro Ney Braga – a política como arte, do jornalista Vanderlei Rebelo. O vice-governador Orlando Pessuti (PMDB), o prefeito Cássio Taniguchi (PFL), o vice-prefeito Beto Richa (PSDB) e o presidente da Itaipú Binacional, Jorge Samek (PT) estavam entre os presentes, além de várias personalidades que contribuiram com depoimentos sobre o ex-governador e ex-ministro e sobre o quadro da política estadual principalmente nas décadas de 1960 e 1970, quando ele teve o seu auge.

Lá estavam antigos colaboradores de Ney, como o ex-deputado Norton Macedo e os ex-secretários Vilson Deconto e Fabiano Braga Cortes, que lembraram sua importância como homem público e a implantação de programas e obras que modernizaram o Paraná e abriram caminho para sua industrialização.

Para compor o painel da história política do Estado nos últimos quarenta anos, Rebelo dedicou três anos a uma minuciosa pesquisa. Ele ouviu, inclusive, dois ex-governadores: Paulo Pimentel e José Richa, além de jornalistas, antigos auxiliares, amigos e até adversários políticos, possibilitando um panorama amplo do que foi o “neysmo”.