Brasília

  – O presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), foi reeleito para mais um mandato pela convenção nacional do partido. No discurso, Bornhausen anunciou que a legenda iniciaria ontem uma grande cruzada nacional contra o aumento da carga tributária. Ele disse que a sigla vive uma nova vida e é oposição, que é o lugar de quem perde as eleições presidenciais.

“Nós seremos uma oposição fiscalizadora, como fomos na Câmara, na semana passada, contra o aumento de impostos, aprovado com a Medida Provisória (MP) 107”, afirmou. Bornhausen disse que não existirão 10 milhões de empregos, como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu na campanha, se o governo continuar promovendo “esse arrocho fiscal e tributário”. “O Brasil não pode ser asfixiado”, defendeu.

O presidente nacional do PFL reeleito criticou a administração federal afirmando que Lula esqueceu as “maravilhosas promessas de campanha” e que ele está à frente, agora, de um Poder Executivo de contradições e de paralisias. Segundo Bornhausen, o novo Executivo disse aos brasileiros que a política econômica da gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso estava certa, mas não foi sequer capaz de pedir desculpas pelos ataques que fez a ela durante a campanha.