O governador Roberto Requião anunciou nesta semana uma parceria entre o governo do Estado e o governo federal para acelerar a reforma agrária no Paraná. Na próxima quarta-feira (28), o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, e o presidente do Incra, Marcelo Resende, estarão em Curitiba para uma reunião com Requião, na qual serão discutidas alternativas para agilizar o processo de assentamentos.

Uma das possibilidades é a compra conjunta de terras destinadas a promover a reforma agrária. Essa proposta, segundo padre Roque Zimermann, secretário do Trabalho, Emprego e Promoção Social, lança o Paraná à frente dos demais estados. “Toda reforma agrária é uma incumbência do governo federal e essa parceria, além de acelerar o processo, vai privilegiar o Paraná”, comentou.

Padre Roque também acredita que, com a implementação da reforma agrária no Paraná, o governo estará resolvendo dois problemas: a manutenção do homem no campo, evitando o êxodo rural, e o aumento da oferta de produtos agrícolas para toda a sociedade.

Para o diretor de política agrícola da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep), Jairo Correia de Almeida, a disposição do governo estadual em formar uma parceria com o governo federal vai agilizar o processo de desapropriação e facilitar os assentamentos. “É uma grande proposta, contrariando o governo anterior, que só amarrou a situação da reforma agrária no Estado”, afirmou.

De acordo com o superintendente do Incra, Celso Lacerda, o governo do Estado já estava trabalhando desde o mês de abril para que fosse firmado um convênio de cooperação com o instituto, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, IAP e Emater.