O governador eleito Roberto Requião (PMDB) foi obrigado a buscar ontem um refúgio para poder trabalhar em paz na formatação de sua equipe. O isolamento do governador foi provocado pelo alto grau de assédio a que foi submetido no início da manhã.

O trânsito na rua Frederico Cantarelli, no Bigorilho, onde mora, ficou congestionado, tal o número de visitantes que recebeu o governador eleito. Muita gente quebrou a etiqueta,e apareceu sem ser convidado ou sem avisar antes. Requião tem vários pontos ainda a definir antes de fechar o secretariado. Ontem nenhum nome novo foi anunciado, mas espera-se para os próximos dias as respostas a alguns convites que fez. O deputado estadual Ângelo Vanhoni (PT), por exemplo, continua no mesmo “chove e não molha”. Ele ainda não sabe se aceita a Secretaria de Cultura.