Ciciro Back / GPP
Ciciro Back / GPP

Soraya Garcia: pivô de uma crise política.

Em entrevista coletiva concedida ontem à tarde, na sede do diretório municipal em Londrina, a direção do PT anunciou que o advogado João Gomes passa a responder pela assessoria jurídica do partido no episódio das denúncias de caixa dois na reeleição de Nedson Micheletti à Prefeitura, feitas pela ex-assessora financeira da campanha, Soraya Garcia. Também reclamou que está tendo cerceado o acesso às provas e ao inquérito, e desmentiu que tenha tido qualquer tipo de influência na remoção do delegado Sandro Vianna dos Santos, que vinha conduzindo as investigações.

O anúncio da remoção aconteceu no dia seguinte às afirmações do delegado, de que os documentos apreendidos em operação realizada na terça-feira pela PF eram suficientes para comprovar a existência do caixa dois. Nos meios políticos circulou insistentemente o boato de que o delegado teria sido afastado em função de um bilhete anônimo informando que sua manutenção no cargo se deveria à indicação do deputado federal José Janene (PP), um dos principais envolvidos nas denúncias de mensalão pelo deputado Roberto Jefferson (PTB). Os petistas enalteceram o seu trabalho à frente da PF londrinense e consideraram mera coincidência a decisão administrativa neste momento. O presidente do diretório regional do PT, deputado André Vargas, citado nas denúncias de Soraya, também participou da entrevista, ao lado do presidente do diretório municipal, Jacks Dias.

Acesso

Dias afirmou que o PT não vai assistir passivamente a essa onda de denuncismo que o atingiu desde que surgiram as primeiras referências ao "mensalão" em Brasília: "Não vamos deixar que nossa imagem, construída sobre conceitos de ética, honra e honestidade, seja destruída por denúncias infundadas como essas, feitas pela sra. Soraya Garcia. Queremos que o Ministério Público e a Polícia Federal investigue profundamente o caso, porque isso vai mostrar que não se orquestrou nenhum caixa dois em Londrina. Já estamos realizando uma auditoria nas contas do partido e nas contas da campanha, para mostrar que o PT agiu com lisura e dentro da lei e quer ver tudo devidamente esclarecido".

Ele lembrou que o PT de Londrina tem feito campanhas modestas, sem comícios e seus tradicionais aparatos: "Contamos com uma militância aguerrida, que arregaçou as mangas e nos ajudou a fazer, com inteligência e criatividade, uma campanha barata, percorrendo todos os bairros da cidade com reuniões para discutir projetos e transformações sociais". Rebatendo as acusações de Soraya, pleiteou acesso às provas e ao inquérito: "Vivemos um estado de direito e queremos ter respeitado o nosso direito de defesa, o que não está ocorrendo neste momento", afirmou.