O secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Renato Adur, comunicou ao governador Roberto Requião (PMDB) que está pensando em deixar o cargo, mas até ordem em contrário, permanece à frente da pasta. Adur justificou que está tendo dificuldades para conciliar seu trabalho no governo com suas atividades na área privada. Ele é proprietário de uma editora de livros didáticos.

“Disse ao governador que não sei fazer as coisas pela metade. A secretaria exige muito e agora tenho esses problemas com minhas atividades profissionais. Mas conversei com o governador e decidimos que vou continuar mais um pouco. Vamos tocando”, afirmou o secretário.

Não é a primeira vez que Adur cogita deixar o cargo. No início deste ano, algumas divergências com Requião sobre sua atuação na secretaria afloraram e ele quase saiu do governo. Mas acabaram se reconciliando e ambos negaram os desentendimentos.

Citado pelo presidente municipal do PMDB, Doático Santos, como um dos nomes que poderiam se candidatar a vice-prefeito de Curitiba numa chapa PT-PMDB, Adur afirmou que jamais discutiu a possibilidade. Afirmou que transita entre os dois grupos – os que defendem a candidatura própria à prefeitura de Curitiba e a ala pró-aliança com o PT – e avalia que está faltando mais conversa entre os dois lados.

“Sou a favor de que todos os partidos de oposição, PT, PMDB, PPS e PCdoB, definam uma estratégia para a disputa da Prefeitura de Curitiba. Isto significa decidir se é melhor ter uma candidatura única agora ou cada um ter o seu candidato para ajudar na chapa de vereadores e se aliar, depois, no segundo turno. Quero trabalhar para que haja este diálogo, esta discussão de uma estratégia”, afirmou.