O governador Roberto Requião (PMDB) mandou recolher todos os carros oficiais sem identificação que estavam estacionados no pátio do Museu Oscar Niemeyer, durante a reunião de ontem de manhã com o secretariado. Requião justificou a atitude dizendo que a ausência do adesivo dificulta o controle do uso dos veículos pela população e, depois de criticar os secretários que haviam se deslocado para a reunião em carros sem identificação, mandou recolher os veículos no pátio do Departamento de Transportes (Deto).

Na reunião, que teve como convidada especial a coordenadora nacional da Pastoral da Criança, Zilda Arns, Requião também criticou o secretário da Saúde, Cláudio Xavier. No intervalo entre a palestra de Zilda e Requião, Xavier se ausentou por alguns momentos do auditório onde a reunião estava acontecendo. Percebendo a ausência, Requião criticou ao auxiliar dizendo que eles teriam que pedir autorização para sair da sala.

Pastoral

Na palestra, Zilda Arns apresentou resumo do trabalho que vem desenvolvendo nos últimos 20 anos na Pastoral da Criança. Ela disse que, somente no ano passado, a entidade teve orçamento de R$ 26,14 milhões, o que correspondeu a gasto mensal de R$ 1,33 por criança. A maior parte dos recursos foi aplicada em capacitação dos líderes e voluntários. Zilda disse que um dos focos do seu trabalho é a redução da mortalidade infantil e da desnutrição de crianças e ainda a educação de jovens e adultos. A Pastoral está presente em 66% dos municípios brasileiros, com 242 mil voluntários que atendem 1,32 milhão de famílias e 1,81 milhão de crianças na faixa de zero a seis anos. No Paraná, atende 20% das 480 mil crianças consideradas pobres.

Zilda defendeu a adoção de políticas públicas sociais que atendam a criança desde a gestação, porque a formação da cidadania da criança, segundo ela, começa ainda na barriga da mãe.