O governador Roberto Requião (PMDB) descartou ontem a possibilidade de se licenciar do cargo na reta final da campanha eleitoral para reforçar os palanques dos candidatos peemedebistas em vários municípios do Estado e do deputado estadual Angelo Vanhoni (PT) em Curitiba. Requião disse que não há razão para se afastar do governo.

“Tenho campanha no estado inteiro e não apenas em Curitiba. Imagine se eu me licencio, depois o Pessuti (vice-governador Orlando Pesssuti) se licencia também. Aí o Hermas Brandão (presidente da Assembléia Legislativa ) vai querer sair também e o Oto Sponholz (presidente do Tribunal de Justiça) assume o governo. Não é hora disso”, afirmou.

Requião continua no cargo, mas intensifica sua participação na campanha esta semana e na próxima. Ele vai se dividir entre a capital e o interior do Estado. Na próxima semana, nos três dias úteis que antecedem a eleição, existe a possibilidade de o governador cancelar todos os seus compromissos administrativos para trabalhar na campanha, em Curitiba.

Já durante esta semana, a previsão de agenda do governador prevê várias visitas ao interior do Estado. Ele deve ir a Cornélio Procópio, Jacarezinho, Francisco Beltrão, Pato Branco e Laranjeiras.

Desde domingo, o governador vem acompanhando o deputado Angelo Vanhoni, em visitas a bairros de Curitiba. A operação “caça ao voto” tem sido realizada de helicóptero, em espaços abertos, como campo de futebol e praças, previamente escolhidos pela comissão de mobilização da campanha, que reúne grupos de eleitores, convidados a conversar com o governador e seu candidato. Anteontem, Requião e Vanhoni estiveram no Bairro Novo, Xapinhal e Sítio Cercado, onde realizaram reuniões relâmpago com a comunidade.