O candidato do PMDB ao governo, senador Roberto Requião, em resposta aos programas que seus adversários têm levado ao ar no horário eleitoral gratuito. Roberto Requião, que cumpre extensa agenda em municípios do interior lembrou que, durante todo o tempo, vasculharam sua vida pessoal e política e nada encontraram, porém no desespero utilizam a mentira, a baixaria para enganar o eleitor. “Utilizam os mesmos expedientes das quadrilhas do narcotráfico para burlar a lei. Na calada da noite, montam vídeos, jornais e programas de rádio com as mais absurdas e grotescas insinuações na tentativa de me imputar uma imagem que nunca tive”, destacou.

Medidas preventivas

Os advogados do PMDB estudam medidas judiciais preventivas para evitar que seus adversários continuem fazendo da mentira e do desrespeito ao eleitor a palavra de ordem dessa campanha. “Eles fogem do debate onde teriam que explicar onde foram parar os mais de R$ 30 milhões do Caixa Dois, ou ainda o envolvimento nos escândalos de corrupção das prefeituras de Maringá e Londrina”, criticou Requião.

O presidente da Convenção das Igrejas Evangélicas, que congrega 219 denominações religiosas, pastor Hélio de Mello, assegurou que as montagens grosseiras envolvendo o senador Requião são uma aberração. Para ele, ao invés de apresentar propostas, os adversários de Requião utilizam farsas, criando essas baixarias. “Conheço o senador Requião desde a época em que ele era prefeito de Curitiba. Conheço o seu trabalho e a sua família, sei o quanto são religiosos e que jamais seriam capazes de tamanho absurdo”, afirmou. O médico legista Alexandre Gebran Neto, afirmou que os eleitores querem ouvir propostas concretas e não evasivas e baixarias. “As farsas montadas demonstram que esses candidatos têm medo das propostas de Requião e do que ele pode e vai fazer pelo Paraná”, avalia. Ele entende que,a forma como os adversários do candidato peemedebista vêm conduzindo a campanha eleitoral, reflete o nível cultural dessas pessoas. “Eles sabem, e por isso agridem com material forjado, que o Paraná precisa de homens como o senador Roberto Requião, uma pessoa digna e honesta, para mudar o Paraná”, assinala. Os advogados do PMDB dizem que ” as baixarias são típicas de quem não tem proposta para apresentar ao Paraná”.

Segundo eles, a crítica tem limite e que o permissivo legal está sendo questionado na Justiça. “Esse tipo de conduta é condenada pela lei 9.504, que prevê punições para a calúnia, a injúria e a difamação. Tudo o que ofende, ridiculariza e degrada tem foro privilegiado, que é a Justiça e que já foi acionada”, afirmam.

Jovens contestam PTC

Os presidentes da Aliança Jovem, Roberta Cristiane Ostrovski e Leonardo Ostrovski, contestaram ontem a propaganda que vem sendo exibida pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC) contra o candidato ao Senado Paulo Pimentel (PMDB). Segundo eles, as agressões que estão sendo veiculadas no horário eleitoral gratuito não estão atingindo os jovens, que em sua maioria apoiam Pimentel. “No interior as pessoas sabem que foi Paulo Pimentel quem construiu universidades e sabem que ele é o único candidato que tem um projeto para o primeiro emprego”, afirma Leonardo.

Segundo eles, Paulo Pimentel sempre amparou os jovens. “Em 2000 ele apoiou a campanha que a Aliança fez para o primeiro voto”, lembra. “Nós sempre pudemos contar com ele”.

Para Roberta, este tipo de propaganda agressiva que vem sendo feita por alguns partidos, só afasta os eleitores.