A prefeitura de Curitiba, o presidente da Paraná Esporte, Ricardo Gomyde (PCdoB) e os ex-presidentes das câmaras de Paranaguá e Guaraqueçaba foram os primeiros réus do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) em 2009.

No retorno de suas atividades, nesta semana, o TCE aplicou multa de R$ 532,60 a Beto e Gomyde, e determinou aos ex-presidentes do Legislativo a devolução de recursos recebidos indevidamente.

A prefeitura da capital foi multada por deixar de atualizar o sistema de controle de pessoal, referente à admissão de médicos pediatras, em 2002, ainda na gestão de Cassio Taniguchi. Já a multa de Gomyde é por conta de compra de R$ 465 mil em material esportivo com irregularidades no processo de dispensa de licitação. Os dois casos foram julgados pela Segunda Câmara da corte de contas.

As decisões do TCE vão pesar bem mais no bolso dos ex-presidentes das câmaras de Paranaguá e Guaraqueçaba, no exercício de 2005. Em Paranaguá, Rudolf Amatuzzi Franco terá de devolver R$ 14,3 mil aos cofres públicos.

Dinheiro da câmara, gasto em uma viagem ao Japão, que foi considerada sem interesse público pela Primeira Câmara do TCE-PR. A Primeira Câmara também condenou João Batista Francisco, de Guaraqueçaba, à devolução de R$ 16,4 mil que recebeu após requerimento apresentado por ele mesmo sobre valores que não teria recebido em 2003.

A Segunda Câmara ainda aprovou as contas de 2006 da Universidade Estadual de Londrina com três ressalvas, pela falta de regulamentação de cargos em comissão, a falta de critérios para o pagamento de adicional de insalubridade e a paralisação do Laboratório de Medicamentos da instituição.