Em nota divulgada na noite desta quinta-feira, 10, o presidente nacional do DEM, senador José Agripino Maia (RN), saiu em defesa do líder do partido na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado (GO). O parlamentar, que defendia o apoio da sigla ao PSB do em governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos, foi o primeiro possível aliado a ser sacrificado após a aliança de Campos com a ex-senadora Marina Silva, da Rede Sustentabilidade. Menos de uma semana após a coligação entre Rede e PSB, Marina avisou que não queria Caiado em seu palanque.

Assinada por Agripino, a nota enfatiza que “repudia qualquer manifestação de demérito ao seu líder, competente e bem intencionado, cuja ação objetiva, só e somente só, o interesse nacional”. O partido também reafirma suas convicções programáticas de defesa do setor agropecuário. “O DEM entende ter no deputado Ronaldo Caiado, líder da bancada na Câmara dos Deputados, um honrado intérprete de suas ideias voltadas para a produção e a consequente geração de empregos no campo”, afirma o texto.