Da mesma forma que o secretário-geral do PT, José Eduardo Cardoso (PT-SP) – que desistiu de concorrer â Camara por falta de uma reforma política que dê transparência ao sistema político brasileiro -, o deputado federal pernambucano Roberto Magalhães (DEM-PE) não vai mais concorrer a um novo mandato. “O Brasil caminha para se transformar no país do partido único, o partido do poder”, afirma ele, para quem a Casa ficou sem graça – o governo age como rolo compressor e a oposição detém menos de um terço dos 513 deputados.

Ex-governador, ex-prefeito do Recife e deputado federal por quatro mandatos, Magalhães diz ter conhecido a Câmara ainda com independência e aponta o sistema eleitoral como a raiz do processo de corrupção no campo dos três Poderes. “Já dei minha cota, não tenho mais estímulo”, justificou.