O líder do governo, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), recorreu a um jargão “fernandohenriquiano” para responder aos deputados de oposição que perguntam, sem parar, quem serão os beneficiados com a anistia proposta a servidores que teriam sido perseguidos durante os anos oitentas, mais especificamente no governo de José Richa e início da gestão de Alvaro Dias. “Não podemos fulanizar o debate”, desconversou.