Ao tomar posse como governadora nesta sexta-feira (6), Cida Borghetti (PP) anunciou somente três nomes do primeiro escalão do Executivo estadual. O nome mais forte é o do cunhado, Silvio Barros (PP), que comandará o Desenvolvimento Urbano e, interinamente, a Casa Civil. O restante do secretariado será discutido com aliados durante o fim de semana.

Silvio deve ficar como interino na Casa Civil pelo período de um mês. Um dos nomes cotados para substituí-lo é o do deputado federal Dilceu Sperafico (PP). O parlamentar estava no gabinete da governadora no começo da tarde para discutir a nomeação.

Antonio Nardi será o secretário da Saúde. Ele era secretário-executivo do Ministério da Saúde na gestão do deputado federal Ricardo Barros (PP), marido de Cida, à frente da pasta. Já o gabinete da nova governadora será chefiado pela advogada Lucília Dias, que exercia a mesma função na vice-governadoria e também foi diretora Legislativa da Assembleia na gestão Valdir Rossoni (PSDB).

Cida Borghetti ainda nomeou os postos militares. O coronel Maurício Tortato será o secretário-chefe da Casa Militar; a coronel Audilene Rocha será a primeira mulher a comandar a Polícia Militar; e o também coronel Elio Manoel ocupará a chefia do Estado Maior. Ainda não há confirmação do comando da secretaria de Segurança Pública e de quem será o delegado-geral da Polícia Civil.

Ainda sem confirmação oficial, a tendência é que os dois ex-tesoureiros de campanha de Richa – Juraci Barbosa Sobrinho (Planejamento) e Fernando Ghignone (Administração e Previdência) – sigam nos cargos por suas funções serem tidas como “estratégicas”.

Com Cida como governadora, PM terá primeira mulher no comando-geral