Os secretários com planos de se candidatar nas eleições do próximo ano podem ficar tranqüilos. O governador Roberto Requião (PMDB) disse ontem que eles ficam até o prazo legal de desincompatibilização dos cargos, em abril de 2006. E somente sairão antes, se quiserem. Com isso, o governador pôs um ponto final no assunto que angustia os deputados aliados ao Palácio Iguaçu, que gostariam de ver os secretários fora do cargo o quanto antes para acabar com o que chamam de "concorrência desleal".

Mas Requião acha que os deputados levam vantagem nesta competição, já que teriam mais tempo para se dedicar aos eleitores do que os integrantes do primeiro escalão do governo. E que também têm o benefício de poder concorrer à reeleição sem ter que deixar seus mandatos. "Os secretários ficam até a data limite. Não vou desorganizar o governo agora. Quem quiser sair antes, pede demissão", afirmou o governador, descartando qualquer mudança na equipe para acomodar os interesses eleitorais dos aliados.