Foto: J. Freitas/Agência Senado

Flávio Arns: senador atendeu ao apelo do governo estadual.

O secretário da Casa Civil, Rafael Iatauro, anunciou ontem a participação dos três senadores do Paraná e de 24 dos trinta deputados federais eleitos pelo Estado na reunião que o governo realiza amanhã, dia 20, em Brasília, para definir uma estratégia conjunta para pressionar o governo federal a cancelar as multas cobradas pela Secretaria do Tesouro Nacional devido à dívida com os títulos públicos podres de Santa Catarina, Osasco e Guarulhos. Já da Assembléia Legislativa, irão vários deputados de oposição e situação. A reunião, que será comandada pelo governador Roberto Requião (PMDB), está marcada para as 8h30, no auditório da Confederação Nacional da Agricultura.

O secretário disse que conversou ontem – e todos confirmaram presença – com os senadores Osmar Dias (PDT), Flávio Arns (PT) e Wilson Mattos (PSDB) – e os deputados federais Eduardo Sciarra (DEM), Abelardo Lupion (PDEM), Alceni Guerra (DEM), Luiz Carlos Setim (DEM), Dilceu Sperafico (PP), Ricardo Barros (PP), Nelson Meurer (PP), Ratinho Júnior (PSL), Alfredo Kaefer (PSDB), Luiz Carlos Hauly (PSDB), Alex Canziani (PTB), Cesar Silvestri (PPS), Assis do Couto (PT), André Vargas (PT), Barbosa Neto (PDT), além dos oito deputados do PMDB.

Uma outra comitiva será formada por deputados estaduais. Estão na lista dos participantes da reunião o líder do governo, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), Alexandre Curi (PMDB), o líder da bancada, Waldyr Pugliesi, e Elton Welter (PT). Da oposição, estão confirmados Valdir Rossoni (PSDB), Plauto Miró Guimarães (DEM), Durval Amaral (DEM), Ademar Traiano (PSDB), Fábio Camargo (PTB), Fernando Ribas Carli Filho (PSB), Cida Borghetti (PP), Augustinho Zucchi (PDT) e Marcelo Rangel (PPS). O presidente da Assembléia Legislativa, Nelson Justus (DEM), poderá ir também a Brasília.

Na mesma

O deputado Augustinho Zucchi, vice-presidente estadual do PDT, disse que a participação dele e do senador Osmar Dias no encontro promovido pelo governo do Estado não altera um milímetro a posição do PDT sobre a administração do governador Roberto Requião (PMDB). ?Nossa posição não muda uma vírgula em relação ao governo. Mas vamos prestar o apoio que ele está solicitando para ajudar ao Estado?, disse.

Valdir Rossoni, líder da bancada de oposição, também justificou que a presença no encontro é uma forma de ajudar o Estado e não o governador Roberto Requião (PMDB). ?Ele demorou muito para chamar as lideranças do Paraná para ajudar. Mas nós temos que reconhecer que o tratamento que o Paraná está recebendo é diferente de Santa Catarina, por exemplo?, disse.