O senador Pedro Simon (PMDB-RS) seguiu seu colega Cristovam Buarque (PDT-DF) e atacou ontem a insistência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em desmerecer as investigações da Polícia Federal (PF) e em defender o senador José Sarney (PMDB-AP). Simon afirmou que Lula está sendo “infeliz” nos comentários e pediu para que o presidente “feche a boca e pare de falar”. “Feche a boca, Lula”, disse Simon. “Ele (Lula) está sendo infeliz porque entrou numa situação que não precisaria ter entrado da maneira que está entrando.”

Simon lembrou que foi a operação Boi Barrica, da PF, que obteve as gravações autorizadas pela Justiça, divulgadas pelo jornal O Estado de S. Paulo, nas quais Sarney e seu filho Fernando Sarney tratam de nomeações para cargos de confiança de parentes e até de um namorado da neta. Simon disse considerar “infeliz” a intervenção de Lula por dois motivos: primeiro porque ao tomar partido de Sarney ele ignora a autonomia do Senado na busca de solução para seus problemas; segundo, porque avalia que o apoio a quem foi investigado pela PF desmerece o trabalho do órgão.

Simon e Cristovam estão convencidos de que a resistência de Sarney em permanecer no comando do Senado se deve ao apoio do presidente. É ele, na avaliação de Cristovam, a “base mais sólida da sua continuação na cargo, além da teimosia dele (Sarney) e da blindagem que o PT e seus aliados estão fazendo”. “Lula vem cometendo um grave erro porque, como presidente, ele é um educador e o que ele diz a população ouve”, afirmou o pedetista.