O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou no começo da tarde desta quarta-feira (17) que o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), emposse imediatamente o suplente Major Fábio (DEM-PB) no lugar do deputado Walter Brito Neto (PRB-PB), que foi punido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com perda de mandato por infidelidade partidária. Apesar de o TSE ter determinado a perda do mandato em março, Brito continua na Câmara.

O plenário do STF tomou a decisão ao julgar e rejeitar um recurso do PRB, partido atual de Brito Neto. Antes, ele era do DEM. Durante o julgamento de hoje, o ministro Carlos Ayres Britto, que preside o TSE, afirmou que estava incomodado com o fato de a decisão não ser cumprida. Nesta terça-feira (16) à noite, o TSE determinou que Chinaglia fosse intimado pessoalmente por um oficial de Justiça para que cumpra a decisão.