O governador eleito Beto Richa (PSDB) anunciou ontem mais oito secretários que vão formar a sua equipe a partir de janeiro. A grande surpresa foi o nome do deputado federal e ex-prefeito de Curitiba Cassio Taniguchi (de quem Beto foi vice) para assumir a Secretaria do Planejamento.

A esposa de Beto, Fernanda Richa, vai acumular trabalho depois de anunciada na Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, segunda mudança que o governador eleito propôs na estrutura atual do Estado.

A primeira foi a reestruturação das secretarias de Obras e dos Transportes, que vão se fundir na Secretaria de Infraestrutura e Logística, que ficará sob o comando de José Richa Filho, o Pepe, irmão de Beto. Nos dois mandatos de Beto como prefeito de Curitiba, Fernanda foi presidente da Fundação de Ação Social (FAS).

Conforme esperado, o deputado federal e presidente estadual do PP (partido que fez parte da coligação de Beto e aguardava uma nomeação) Ricardo Barros foi anunciado como secretário de Indústria e Comércio do novo governo.

Na pasta do Turismo, o escolhido foi Faisal Saleh, empresário em Foz do Iguaçu e fundador do Instituto Polo Internacional Iguassu, que reúne instituições para fomentar a integração e o desenvolvimento da região da fronteira.

Para assumir o Meio Ambiente foi escolhido o engenheiro civil Jonel Nazareno Iurk, que também foi superintendente do Ibama no Paraná, no período entre 1995 e 1999.

Cassio: ex-prefeito no Planejamento.

O atual presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), o jornalista Paulino Viapiana continuará o trabalho na área na estrutura estadual, assumindo a Secretaria de Estado da Cultura.

À frente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) estará o funcionário público de carreira da instituição Tarcisio Mossato Pinto. Atualmente, o servidor trabalha na área de licenciamento e fiscalização ambiental na região do Norte Pioneiro e coordenou os estudos de impacto ambiental das usinas termelétricas de Figueira e Canoas 1 e 2.

Secretaria bastante aguardada era a da Segurança Pública, para a qual foi escolhido o delegado da Polícia Federal Reinaldo de Almeida Cesar, que também é presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal.

Almeida Cesar foi chefe da divisão de cooperação internacional da PF e responsável pelo escritório central da Interpol no Brasil. O nome do delegado e deputado federal eleito Fernando Francischini, que foi secretário especial Antidrogas convidado por Beto na prefeitura de Curitiba, foi bastante especulado logo depois das eleições.

Entre os anúncios que faltam estão os das secretarias da Justiça, da Comunicação e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, além dos nomes para a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) e para o Museu Oscar Niemeyer (MON).