O vice-presidente da República, Michel Temer, reassume nesta quarta-feira, 16, a presidência do PMDB nacional. O ato que formalizará o retorno ao posto ocorrerá no fim da tarde, no Senado.

Há 13 anos no comando do partido, Temer se licenciou do cargo quando a chapa da presidente Dilma Rousseff foi eleita, em 2010. Assumiu então o senador Valdir Raupp (PMDB-RR) que, com a recolocação do vice-presidente no cargo, passará a atuar especialmente na área administrativa.

A decisão foi selada em um almoço nesta terça, 15, no Palácio do Jaburu, residência oficial de Temer. O acordo pretende fazer com que Temer tenha participação mais ativa nas negociações políticas do partido. Nos bastidores, a avaliação é de que a sigla passa a ser mais “respeitada” com a mudança.

Temer já foi presidente da Câmara dos Deputados três vezes e sempre esteve no centro de grandes costuras de aliança. Ao assumir a vice-presidência e abdicar do posto máximo do PMDB, ele manteve a atuação nas costuras políticas, mas algumas vezes acabou “apagado”, como descreveram correligionários em alguns momentos.

Ao ver ameaçada a aliança com o PT da presidente Dilma nas eleições deste ano, saiu dos bastidores e assumiu as negociações que garantiram a manutenção do acordo. Estados considerados importantes, como o Ceará e o Rio de Janeiro, contudo, mantiveram posições contrárias à dobradinha Temer-Dilma.