A presidente Dilma Rousseff reconheceu o momento difícil por que passa a economia brasileira e ressaltou que seu governo está “trabalhando sistematicamente” para enfrentar a desaceleração da economia. “Não ignoro a desaceleração da economia e do setor neste momento, mas temos trabalhado sistematicamente para vencer esta desaceleração”, disse Dilma para uma pequena plateia de empresários na abertura do 21º Salão Internacional da Construção.

Os presente à cerimônia ocuparam menos da metade do auditório do Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Aos empresários, que pouco antes da abertura do evento a haviam vaiado, Dilma disse que o setor da construção é parte da estratégia de desenvolvimento do Pais.

No discurso, ela ressaltou a importância do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que quando foi criado, segundo ela, era o maior programa de infraestrutura do País das últimas décadas. “O Brasil se transformou e fez das obras públicas um de seus vetores de crescimento”, disse.

A presidente repetiu que a economia brasileira mudou de patamar nos últimos anos e citou como exemplo o total de empregos gerados, que saltou de 1 milhão em 2002 para 2,7 milhões em 2014.

A avaliação da presidente é que a construção civil foi uma espécie de alavanca para a geração dos empregos. “Parte das pessoas que passaram para a classe média teve sua alavanca na construção”, disse. Ela também fez menção ao credito para o setor, que nos últimos 12 anos passou de um total de R$ 25,5 bilhões para R$ 498 bilhões.