O senador Delcídio Amaral (PT-MS), eleito nesta terça-feira, 10, por aclamação, para assumir a presidência da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), se comprometeu a dar prioridade à ida do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para uma audiência na comissão.

O tema foi levantado pelo senador José Antônio Reguffe (PDT-DF), que criticou a atuação recente do BC, ao falar do descontrole da inflação. “A função do Banco Central é ser guardião da moeda e a única coisa que não tem feito é ser o guardião da moeda deste País”, disse Reguffe.

O pedetista pediu que a audiência com Tombini fosse marcada já na semana que vem. Delcídio, contudo, não se comprometeu com um prazo, dizendo apenas quer iria priorizar o convite ao presidente do BC.

Delcídio foi citado na delação da Operação Lava Jato, mas o pedido de abertura de investigações contra ele foi arquivado pelo ministro Teori Zavascki do Supremo Tribunal Federal (STF).

Raimundo Lira (PMDB-PB), que foi eleito vice-presidente da CAE, foi o último a falar na sessão. Ele elogiou Delcídio, dizendo ser o petista uma figura de respeito no Senado.