Pressionada para elevar um representante da bancada da Câmara a posto de destaque no governo Dilma, a cúpula do PDT marcou para o próximo dia 14 de julho reunião entre parlamentares e a Executiva da legenda. O encontro será realizado para discutir a permanência de Manoel Dias no comando do Ministério do Trabalho. Na lista dos cotados para substituir Dias estão os deputados Afonso Motta (RS), Ronaldo Lessa (AL) e Sérgio Vidigal (ES).

O tema debatido ontem entre integrantes da bancada da Câmara, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e o vice-presidente da República, Michel Temer. “Foi discutida a relação do partido com o governo e houve cobranças para que o partido fosse fortalecido no ministério, com as secretarias que estão com outros partidos. Além disso, um setor da bancada defendeu que houvesse um representante (da bancada do PDT na Câmara) no governo (primeiro escalão)”, disse o presidente do PDT, Carlos Lupi.

Segundo Lupi, no encontro marcado para o próximo dia 14 também estará em foco a possibilidade de o partido permanecer independente e até abrir mão dos cargos federais. “Há um setor que também defende essa tese. Vamos ouvir todos”, ressaltou.