Agora que o ex-deputado Gustavo Fruet foi embora do PSDB e o presidente da Câmara Municipal, João Claudio Derosso, está acuado por denúncias de irregularidades em contratos de publicidade, os tucanos de Curitiba estão pressionando o governador Beto Richa para definir o comando da sigla em Curitiba.

Mas o governador, presidente estadual do partido, não tem pressa. Ele marcou para o dia 18 uma reunião que estava marcada para a próxima segunda-feira, 8, com a bancada de vereadores para decidir a quem vai entregar o comando do partido, em Curitiba.

Gustavo e Derosso disputaram o cargo durante todo este início de ano. Para resolver o impasse, o diretório estadual interveio no diretório municipal, que está paralisado, angustiando os vereadores que querem saber como fica a composição das chapas para as eleições de 2012.

O deputado estadual, Mauro Moraes, também está cobrando do governador uma resposta. Moraes, cotado para ser candidato a vice-prefeito na chapa à reeleição de Luciano Ducci (PSB), vai procurar Beto na segunda-feira para pedir urgência no assunto.

“Estou voltando de Brasília, onde todo mundo acha que vai ter consenso sobre o fim da coligação na eleição proporcional. O que vai ser do PSDB de Curitiba se já estamos perdendo espaço para outras siglas na montagem da chapa. Se não pudermos fazer coligação com o PSB, eles ficarão bem porque já estão com uma chapa poderosa”, reclamou.

O vereador Jair Cesar afirmou que todos os vereadores são potenciais candidatos ao comando do partido na capital. “Nomes é que não faltam. O que falta é a decisão. O nosso prazo para discutir e preparar a chapa começa a se esgotar. Estamos chegando na hora final”, afirmou o vereador.

Ele informou que o encontro da próxima segunda-feira tinha sido convocado por Beto. E que além da situação partidária, os vereadores também querem conversar sobre a eleição para prefeito.