A TV Brasil Internacional, braço no exterior da TV Brasil, emissora operada pela estatal Empresa Brasil de Comunicação (EBC), iniciará suas transmissões no dia 24, pela África. Na estreia, em ato no Itamaraty, haverá conversa ao vivo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de Brasília, com seu colega de Moçambique, Armando Guebuza, em Maputo.

O canal só não chegará a cinco países do continente africano: Egito, Líbia, Argélia, Tunísia e Marrocos. A programação não será a mesma do Brasil.

Um dos alvos da TV Brasil Internacional é formado pelas comunidades de brasileiros no exterior – atualmente, cerca de 2 milhões de pessoas -, mas o objetivo principal da emissora, segundo a presidente da EBC, Tereza Cruvinel, vai além. “Queremos ter uma TV que expresse no exterior a diversidade e a cultura do Brasil”, disse ela.

A emissora começará pela África porque foi lá que conseguiu fechar o primeiro contrato de retransmissão local por cabo, com a distribuidora Multichoice. Há também interesse do Brasil em aumentar sua presença no continente, sobretudo nos Palops (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa): Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial e São Tomé e Príncipe. Os seis serão cobertos pela emissora.

Os testes de transmissão da TV Brasil Internacional já começaram. No dia 20, o sinal será aberto, em caráter experimental, para a África e, no dia 22, já entrará nos pacotes básicos de TV a cabo da Multichoice no continente africano.

A EBC também negocia levar o seu canal internacional a outros continentes. Uma das negociações em andamento, para chegar aos EUA, é com a Dish Network, que poderia incluir a emissora brasileira em um “pacote étnico” de TV a cabo em língua portuguesa. Para a América Latina, as conversas são com a Direct TV, e, para Portugal e Espanha, com o grupo Prisa. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.