Pesquisa CNT/MDA divulgada na manhã desta segunda-feira (14) mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apesar de preso, segue na liderança, com 32,4% das intenções de voto. Esta é o primeiro levantamento da Confederação Nacional dos Transportes divulgada após a prisão do petista, em 7 de abril. O levantamento ocorreu entre os dias de 9 a 12 de maio com 2002 pessoas, ouvidas em 137 municípios de 25 unidades federativas.

No cenário em que se considera a candidatura de Lula, ele é seguido por Jair Bolsonaro (PSL), 16,7%, Marina Silva (Rede), 7,6%, Ciro Gomes (PDT), 5,4%, Geraldo Alckmin (PSDB), 4%, e Alvaro Dias (Podemos), 2,5%.

Um segundo turno com Lula teria a vitória do petista, cujas intenções de voto variam de 44,4% a 49%, a depender do adversário. Bolsonaro sai na frente em todos os cenários sem o petista, sempre seguido por Marina Silva.

A pesquisa foi feita considerando 15 possíveis candidatos. Uma das perguntas não apresentava os nomes, a chamada votação espontânea. Depois, foram apresentados os nomes que podem concorrer, a votação estimulada.

A última pesquisa, divulgada em 6 de março, também mostrava cenários com e sem o ex-presidente Lula na disputa. Quando ele aparecia como candidato, liderava com 33,4%, seguido de Bolsonaro, 16,8%, Marina, 7,8%, Alckmin, 6,4%, Ciro, 4,3%, e Alvaro, 3,3%.

Os demais concorrentes desse cenário (Fernando Collor, Michel Temer, Manuela D’Ávila, Rodrigo Maia) apresentaram menos de 2%, e ficaram dentro da margem de erro. Votariam branco ou nulo 18,2% das pessoas perguntadas e 6,4% se disseram indecisas.

Num cenário de segundo turno contra Alckmin, Lula ganharia com 44,5% a 22,5%. Indo para o segundo turno contra Bolsonaro, o petista também vence, mas com 44,1% a 25,8%.

Metodologia

A pesquisa CNT/MDA foi realizada entre os dias de 9 a 12 de maio e ouviu 2002 pessoas em 137 municípios de 25 unidades federativas. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A sondagem foi encomendada pela CNT ao instituto MDA e registrada no TSE sob o número BR-09430/2018.