A Justiça condenou Clóvis Roberto Bueno, presidente da Câmara de Bariri (SP), e Claudocir Maccorin, ex-diretor de Saúde do município, a prestarem serviços à comunidade pelo prazo de dois anos e quatro meses por desvio de medicamentos destinados à prefeitura. Cabe recurso da decisão.

Segundo a denúncia, os remédios adquiridos pela prefeitura, que deveriam ser distribuídos ao posto de saúde municipal SOMA I, eram dados à população para promoção pessoal de Clóvis, em período eleitoral. Conforme o juiz Luiz Gustavo de Oliveira Martins Pereira, as provas demonstram com clareza que os remédios foram desviados pelos acusados.

“Os depoimentos prestados pelas testemunhas foram claros no sentido de que Clóvis Roberto Bueno compareceu ao SOMA I para entregar receitas e pegar medicamentos destinados à população, cuja posse e responsabilidade era de Claudocir Maccorin”, alegou o magistrado.