A Executiva Estadual do Partido Verde do Paraná, durante reunião nesta terça-feira (17), aprovou a expulsão do filiado Professor Galdino. Relatório da Comissão de Ética do PV aponta como principal motivo da expulsão o assédio sexual sofrido pela ex-funcionária Kátia Rosa Curtis de Mello, de 44 anos, feita por Galdino em meados de dezembro.

Segundo Kátia, um dia depois do assédio ela comunicou a decisão de não fazer parte da equipe do vereador que assumiria em janeiro na Câmara Municipal de Curitiba.

A direção estadual do PV afirma que o vereador descumpriu o estatuto, que o obriga a dar emprego em seu gabinete a funcionários indicados pela direção do partido. Galdino ainda é acusado de ter feito caixa dois durante a campanha.

O Professor Galdino se disse surpreso com as acusações de assédio sexual e caixa dois. O vereador afirmou que demitiu dois funcionários indicados pelo partido, simplesmente porque não compareciam para trabalhar. Também afirmou que vai recorrer à Justiça à presidência naional do partido.

Mais informações na edição desta quinta-feira do jornal O Estado do Paraná.