Está circulando nas redes sociais um vídeo de um eleitor que, supostamente, grava o seu próprio voto, dado ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). Ao invés de utilizar os dedos para marcar os números do político, o autor do vídeo utiliza o cano da arma.

Procurado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que o Ministério Público Eleitoral deve investigar se o vídeo é verdadeiro ou falso, o que ainda não é possível saber. Caso seja verdadeiro, o responsável cometeu crime eleitoral previsto no artigo 312 do Código Eleitoral, por violar o sigilo de voto ao fazer o registro em vídeo, com pena prevista de detenção de até dois anos.

Sobre a utilização da arma, não há nada previsto no Código Eleitoral. Se o eleitor tem o porte de arma, a princípio, ele pode estar com ela no momento do voto.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Eleições na Tribuna: acompanhe tudo sobre a votação de Curitiba e região em tempo real!