Duas viradas. Esse foi o desempenho de Pedro Wosgrau (PSDB) nas urnas em relação às pesquisas eleitorais para garantir a reeleição à prefeitura de Ponta Grossa.

Depois de largar atrás de Jocelito Canto (PTB) e vencer o primeiro turno, o tucano se viu novamente em desvantagem na disputa final com Sandro Alex (PPS), mas acabou vencendo a votação de domingo com 52,26% dos votos válidos, contra 47,74% de seu adversário, numa diferença de 7,7 mil votos.

Mas, ao contrário de muitos candidatos que disputaram as eleições municipais, Wosgrau não criticou as pesquisas. “Acertando ou não, elas serviram de orientação. Mostraram que estávamos atrás e conseguimos reverter o quadro apresentando nossas propostas e os resultados que já alcançamos”, comentou ontem prefeito reeleito.

Wosgrau vai para seu terceiro mandato como prefeito da cidade dos Campos Gerais. Antes de se eleger em 2004, havia governado Ponta Grossa entre 1989 e 1992. O prefeito atribuiu o resultado de domingo ao “passado de obras e conquistas”, mas não esqueceu os apoios que recebeu nesta eleição.

“Pudemos contar com o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), o deputado Plauto Miró e o senador Alvaro Dias em nossa campanha que, no final, recebeu, ainda o apoio do governador Roberto Requião (PMDB)”, declarou.

Wosgrau, que apesar de tucano apoiou Requião nas eleições de 2006 não quis comentar sobre um possível embate entre um candidato do governador e um de seu partido nas eleições estaduais de 2010. “Ainda é muito cedo, vamos esperar a definição dos nomes e do quadro político para, no momento certo, termos uma posição.”

Para o novo mandato, o prefeito reeleito promete dedicação à educação e à saúde. “Vamos melhorar a qualidade do ensino e disponibilizar vagas para mais sete mil crianças na rede municipal”, disse. Na saúde, Wosgrau pretende transformar todas as 50 unidades do município em consultórios com atendimento com hora marcada.

“Nossa meta é reduzir a espera por uma consulta de qualquer especialidade para uma semana, no máximo, 10 dias”, declarou o prefeito, que também pretende adotar um programa paulista, “que copiei do José Serra (PSDB)”, de entregar em casa os medicamentos para diabéticos e hipertensos.

Wosgrau disse que ainda não pensou na montagem da equipe. “A preocupação era com a eleição, agora que vamos começar a pensar na equipe, mas, como não temos nenhum acordo com qualquer partido, estamos bastante à vontade para montar essa equipe da melhor maneira possível”, concluiu o prefeito reeleito.

A reeleição de Wosgrau confirmou a tendência de sucesso dos prefeitos que disputam um novo mandato. Em seis das principais cidades do Estado (Curitiba, Maringá, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu e Paranaguá) o atual prefeito conseguiu a reeleição.

Em Londrina, o prefeito Nedson Micheleti não participou da eleição por já estar no seu segundo mandato consecutivo, mas um ex-prefeito, Antonio Belinati, foi eleito.

A regra só não foi mantida em Cascavel, onde Lisias Tomé (PSC) foi derrotado por Edgar Bueno (PDT) e São José dos Pinhais, onde Ivan (PTB) derrotou o atual prefeito Leopoldo Meyer (PSDB).