Os mais de R$ 216 milhões que integram a Proposta Orçamentária para o exercício de 2007 da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) vão auxiliar os portos do Paraná a colocar em prática uma série de projetos, atividades e operações especiais que visam melhorias na infra-estrutura logística, no gerenciamento da infra-estrutura e das operações portuárias, além de beneficiar o gerenciamento da estrutura administrativa da autarquia.

A receita, segundo a assessora da Superintendência, Xênia Karina Arnt, tem origem nas receitas imobiliárias, de valores mobiliários, de serviços portuários, de serviços de armazenagem, de indenizações e restituições e de transferência de capital. ?Tais valores são resultado do recolhimento de tarifas, pagamento de áreas arrendadas, serviços de armazenagem e uso da estrutura pública para atividades portuárias, remuneração sobre depósitos bancários (que trata da gestão financeira), e convênio com a União?, explicou.

De acordo com a Proposta Orçamentária, do total da receita prevista 29% será aplicado em investimentos utilizando recursos próprios da Appa, num total de mais de R$ 48,7 milhões. Para a manutenção das infra-estruturas terrestre, marítima e de acostagem será aplicado mais de R$ 50,4 milhões, o que corresponde a 30% do orçamento previsto.

Entre as principais ações para 2007 já previstas no orçamento da Appa estão a construção do novo silo graneleiro, a fase 1 do Cais Oeste, a revitalização do Porto de Antonina, a construção do terminal Público de Fertilizantes, a implantação da Plataforma Aduaneira e dragagem. Obras que, segundo o superintendente da Appa, Eduardo Requião, seguem o mesmo ritmo de investimentos observado nos últimos quatro anos, quando mais de R$ 150 milhões foram revertidos em obras de infra-estrutura.

Já os gastos com as despesas com pessoal e encargos previstos para este ano atendem o disposto na Lei de Responsabilidade Fiscal, que determina que até 40% do orçamento seja direcionado para este fim.

Produtividade

?Os portos têm em caixa hoje mais de R$ 250 milhões. Não só podemos investir naquilo que está programado e que consideramos como necessário e urgente, como temos ainda o suficiente para o custeio do porto. Conseguimos um resultado inédito na administração da Appa porque assumimos a filosofia de gestão que prega o respeito ao sistema público. Assumimos os portos sucateados e reerguermos a infra-estrutura com investimentos próprios?, relembrou Eduardo Requião.

O objetivo da autarquia, conforme destacou Xênia Arnt, é aumentar os atuais índices de produtividade e de desempenho operacional. ?Buscamos atender as necessidades de custeio, gerenciar as atividades administrativas e operacionais e promover política de recursos humanos, suprimento e gestão financeira?, finalizou.