A Polícia Rodoviária Estadual começou a testar uma nova tecnologia para evitar acidentes por excesso de velocidade nas estradas do Paraná. Um software desenvolvido especialmente para a polícia, permite que seja calculada a velocidade média desempenhada pelos motoristas, monitorados pelos policiais em alguns trechos da viagem. Os dados do computador dão subsídios para que o condutor seja parado na estrada e orientado pelos policiais. “Com este programa, a polícia sabe exatamente como cada motorista se comportou durante a viagem”, comparou o sargento Darío Júnior, que participou da operação batizada como “Cronômetro”.

O sistema de monitoramento funciona em postos de fiscalização da Polícia Rodoviária Estadual interligados por um sistema de computador. Ao passarem pelo primeiro posto, por exemplo, alguns veículos são escolhidos, aleatoriamente, para serem monitorados. Os policiais do posto seguinte esperam pelos carros escolhidos, que são parados ao cruzar o segundo posto. Enquanto isso, um programa de computador calcula a velocidade média desempenhada por esses motoristas, com base na distância percorrida pelos veículos e o tempo gasto para cumprir o trajeto.

Nos casos em que a velocidade média registrada pelo software é maior que a permitida, o motorista recebe cartilhas educativas e é orientado a respeitar a velocidade determinada para aquele trecho de rodovia.”Nosso objetivo é educativo. Queremos mostrar para o condutor que a polícia está acompanhando seu trajeto e conscientizá-lo da importância do respeito às regras de segurança nas estradas”, disse o coronel José Paulo Betes, que comandou a operação.

Resultados

Em apenas dois dias de operação, 275 motoristas foram monitorados pelos policiais. O trecho escolhido para sediar os testes do novo programa foi o percurso Curitiba – Londrina. Do começo do ano até agora, aconteceram 1.064 acidentes apenas neste trajeto. Ao todo, 64 pessoas morreram 675 ficaram feridas. O objetivo da Polícia é reduzir estes números em pelo menos 20% com operações educativas como a “Cronômetro”. Por isso, os policiais vão continuar trabalhando neste trecho até o próximo dia 25. Depois disso, a operação preventiva deve ser aperfeiçoada e então será feita em outras estradas do Paraná.