Rio – O Índice Geral de Preços ? Disponibilidade Interna (IGP-DI) ficou em 0,72%, uma alta de 0,65 ponto percentual na comparação com e dezembro, de 0,07%. Nos 12 meses encerrados em janeiro, o IGP-DI acumula alta de 1,62%. Os dados divulgados hoje pela Fundação Getúlio Vargas mostram que dois dos três componentes do índice apresentaram aumento.

O Índice de Preços por Atacado (IPA), que responde por 60% do IGP-DI, passou de ?0,14%, em dezembro, para 0,81%, em janeiro. Entre os preços dos produtos por atacado que apresentaram alta, destacam-se óleos combustíveis (-10,70% para 7,91%), café (-3,25% para 17,15%), cana-de-açúcar (0,78% para 6,34%), álcool etílico hidratado (1,92% para 7,64%) e o milho (-1,00% para 4,80%). O IPA só não foi mais alto por causa da redução nos preços de ovos (8,69% para ?14,59%), carnes bovinas (-3,96% para ?3,38%), suínos (0,40% para ?14,11%) e aves (-5,50 para ?3,85%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), responsável por 40% do IGP-DI, subiu 0,19 ponto percentual, ficando em 0,65%, em janeiro, ante 0,46% do mês anterior. Puxaram o índice os gastos com o ensino em geral, que no mês anterior havia sido zero. No ensino fundamental a alta foi de 6,01%; no ensino médio, 5,95% e no superior, 3,53%. O preço da gasolina também teve alta significativa, de 0,28% em dezembro, parta 1,48%.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que contribui com 10% do IGP-DI, apresentou ligeiro recuou em janeiro, influenciado principalmente pela redução nos preços de produtos como aço (0,05% para ?0,20%), cimento (-0,63% para ?0,23%) e vidros (0,24% para ?1,04%). O INCC registrou 0,34%, em janeiro, contra 0,37% de dezembro.

O IGP-DI é calculado com base nos preços pesquisados entre os dias 1º e 31 do mês, e tem por objetivo balizar o comportamento de preços em geral na economia.