Os prefeitos Silvio Barros, de Maringá, e Paulo Mac Donald Ghisi, de Foz do Iguaçu, consideraram extraordinária e inovadora a medida do Governo do Estado em promover a compra de óleo diesel e transferir às prefeituras o combustível sem a incidência de ICMS para o transporte coletivo. A medida, autorizada pelo governador inicialmente para Curitiba e Região Metropolitana, é uma forma de conter reajustes na tarifa dos ônibus. A idéia é estender a medida para outras cidades com transporte público.

?A medida é inovadora porque demonstra a preocupação do governador com a gestão da tarifa e a racionalização dos preços. Atualmente, cerca de 34 milhões de brasileiros estão fora do sistema de transporte coletivo por uma razão muito simples: não têm dinheiro para pagar a tarifa de ônibus. A decisão do governador, além de promover a justiça e a responsabilidade social, vai com certeza efetuar a inclusão social de milhares de paranaenses, que terão acesso a tarifa de ônibus mais barata?, destacou Barros.

Já para Paulo Mac Donald, a atitude do governador é extraordinária e importantíssima porque ?se preocupa com um setor, o transporte coletivo, que é fundamental para a qualidade de vida das pessoas. E, quando se reduz tarifa, também se diminui o número de automóveis circulando nas cidades. Isto é importante para melhorar a qualidade de vida da população?.

Silvio Barros esteve reunido nesta quinta-feira (27) com o secretário municipal de Transportes, Valdir Pignata, justamente para analisar a medida do Governo e, ao mesmo tempo, traçar um plano de ação para que as empresas de Maringá venham a ser incluídas no programa.

Sem a alíquota de 12% de ICMS e com os descontos adicionais pela compra em larga escala de óleo diesel, a economia pode chegar a 20%. Tanto Barros quanto Paulo Mac Donald acreditam que o programa possa ser estendido para todas as regiões metropolitanas do Paraná. ?Temos total interesse em participar deste programa. Foz do Iguaçu tem 301 mil habitantes e quatro empresas que atuam no transporte coletivo, fazendo circular pela cidade cerca de 1,8 milhão de pessoas/mês?, disse Mac Donald.

A medida do Governo do Estado chega numa boa hora, segundo o prefeito de Foz do Iguaçu, onde as empresas de ônibus, que atualmente cobram R$ 1,85 pela tarifa, reivindicam reajuste de R$ 0,15. ?Elas alegam que os preços estão defasados. Agora, se conseguirmos aderir ao programa do governo, certamente vamos segurar a tarifa por muito mais tempo?, acrescentou.

Maringá possui um sistema modelo de transporte coletivo, onde o preço médio da tarifa é de R$ 1,70. ?Entretanto, para aqueles que pegam ônibus fora dos horários de pico existe um desconto de 10% e o preço da tarifa cai para R$ 1,53. Já àqueles que decidem pagar em dinheiro dentro dos ônibus o preço é de R$ 2,00?.

O prefeito disse que a elevação da tarifa paga dentro dos ônibus tem por principal objetivo desestimular a circulação de dinheiro, para evitar os assaltos. ?Além do mais, nossos ônibus circulam sem cobrador e quem faz o troco é o motorista. A tarifa de R$ 2,00 facilita o troco e o motorista não perde tempo?.