Operários, arquitetos especializados em áreas como a cenotecnia, acústica e reverberação, restauradores, engenheiros e técnicos da Prefeitura participam de uma das transformações mais esperadas no centro da cidade: o prédio onde funcionou a Capela do Colégio Santa Maria e a edificação onde estão as salas que um dia foram da escola, no cruzamento das ruas Conselheiro Laurindo com a Marechal Deodoro, está em obras.

O espaço será utilizado pela Camerata Antiqua de Curitiba, orquestra fundada em 1974 que hoje, neste gênero, é a mais importante do Brasil. A Camerata vai utilizar o espaço tanto para os seus ensaios quanto para as apresentações de música erudita. Futuramente, outros espetáculos de música popular e teatro poderão ser realizados porque tudo é pensado para que a sonorização, a luz e o palco possam ser adaptados para as apresentações.

A restauração e adaptação acontece num espaço de pouco mais de quatro mil metros quadrados no prédio que tem dois mil metros quadrados de área e faz parte do Projeto Marco Zero, da Prefeitura de Curitiba. A obra só é possível porque pelo menos 30 empreendedores adquiriram cotas da transferência de potencial construtivo, mecanismo que permite a recuperação de Unidades de Interesse Especial de Preservação (UIEP). Pela sua importância histórica, a Capela do Santa Maria é uma das nove UIEPs da cidade. Nesta etapa dos trabalhos a obra custa R$ 2,5 milhões e deve ser concluída em fevereiro do ano que vem.