O prefeito Beto Richa determinou nesta quarta-feira (25) à direção da Urbs – Urbanização de Curitiba S/A a adoção das providências necessárias para o início da renovação da frota de ônibus que serve ao transporte coletivo da cidade. Segundo informações da Urbs, a renovação da frota é necessária porque não foi feita nos últimos anos, e há veículos com mais de dez anos de uso. Há casos de ônibus que deveriam ter sido substituídos em 2002, e isso não ocorreu. No total, são 295 ônibus, de uma frota operacional de 1.860 veículos, que precisam ser substituídos por novos.

"Já assumimos com uma defasagem no transporte coletivo, com muitos ônibus com vida útil vencida", revela o prefeito. "Por isso, determinamos ainda no início de 2005 que a Urbs aumentasse a fiscalização para a manutenção adequada dos ônibus, com garantia de segurança e conforto para os usuários." Em Curitiba, a vida útil dos ônibus está fixada em legislação municipal em 10 anos, mas em outras cidades esse limite é até maior.

Além da renovação da frota de ônibus, será realizada a primeira licitação da história do transporte coletivo de Curitiba, ainda no segundo semestre. A Urbs também trabalha na recuperação de terminais de transporte, que estavam sem manutenção adequada ou que hoje se tornaram inadequados pela grande demanda de passageiros. E já está aberta a licitação para a compra de materiais para a reforma de 78 estações-tubo, que apresentam problemas e desgaste no piso interno.

Quatro terminais de ônibus serão remodelados e revitalizados: Capão da Imbuia, Campina do Siqueira, Cabral e Hauer. As obras fazem parte do Programa de Transporte Urbano, que conta com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As licitações para a recuperação dos terminais deverão ser realizadas ainda no primeiro semestre deste ano.