A prefeitura de Paranaguá apreendeu na manhã desta segunda-feira (25) a barraca
do movimento ?O Porto é nosso?. Os estandartes e a barraca foram recolhidos sob
protestos dos militantes do movimento contra a federalização dos Portos de
Paranaguá e Antonina.

Apesar da tentativa de acabar com o movimento, os
organizadores dizem que a mobilização ganha ainda mais força. A partir desta
terça-feira (26), as assinaturas do abaixo-assinado poderão ser feitas em três
locais: no Café Vitória, na Praça Fernando Amaro; na Ilha dos Valadares e no
armazém conhecido como ?Ponto de Chamada? dos trabalhadores avulsos do Porto.

O vereador Alceu Maron Filho, um dos coordenadores do movimento em
Paranaguá disse que o prefeito José Baka Filho sentiu o golpe. ?No começo, ele
estava em cima do muro. Agora, resolveu lutar contra o movimento. Do que é que
ele tem medo? Do povo ser informado da má intenção dos deputados que propuseram
o decreto legislativo que intervém no porto? A barraquinha na praça Fernando
Amaro era absolutamente provisória, não vendia nada, apenas exercia o direito
democrático da conscientização popular.?

O deputado Rafael Greca, um dos
inspiradores do movimento disse ?estranhar a violência?. Para Greca, o prefeito
de Paranaguá agiu de maneira infantil. ?É tradição democrática o respeito aos
adversários. Mas também sei que é assim que crescem as causas populares. Quando
perseguidas pelo arbítrio, elas multiplicam seus adeptos. Já tínhamos mais de
mil assinaturas de parnanguaras inconformados com a federalização do Porto de
Paranaguá. Somos como massa de pão, quanto mais baterem mais nós cresceremos.
Somos a favor do Paraná. Temos o fermento da razão ao nosso lado?, disse
Greca.