O plano emergencial de obras, iniciado em janeiro, já recuperou 65% da malha viária nos 16 bairros que formam a Regional de Santa Felicidade. Os trechos trabalhados somam 105 quilômetros. Isso significa que 420 quilômetros de ruas foram deixados em perfeitas condições de uso pela população. O plano foi lançado pelo prefeito Beto Richa para recuperação das ruas da cidade que, há mais de três meses, estavam sem receber manutenção.

Segundo o administrador regional, Eduardo Paim, além dos serviços de manutenção e revitalização de ruas também estão sendo feitos outros trabalhos. "Nossas equipes estão roçando os canteiros das vias principais, fazendo drenagem, limpando e recuperando bueiros e pontes", disse.

O plano emergencial de obras abrange toda a cidade. Na Regional de Santa Felicidade os trabalhos começaram no dia 17 de janeiro, com equipes de manutenção de ruas com antipó e de roçada.

Na primeira fase foram executadas obras nas vias com maior circulação de veículos, principalmente do transporte coletivo. Por exemplo, a rua Eduardo Sprada, que liga Campina do Siqueira ao Campo Comprido e tem tráfego intenso. Na segunda fase a operação tapa-buraco seguiu para ruas de ligação dos bairros, como a Paulo Gorski, no Campo Comprido.

Eduardo Paim explica que, além das ruas de grande circulação de veículos e de tráfego de ônibus, também terão serviços de manutenção as vias com pouco fluxo de carros, chamadas secundárias. "Nossa meta é atender a todas as ruas secundárias que precisem de recuperação", disse Paim.

A regional também concluiu a roçada nos canteiros da avenida Manoel Ribas, com manutenção, recuperação e limpeza de bueiros. Já foram trabalhadas, também, as ruas Juruqui, Via Veneto e Fredolim Wolf, no bairro Santa Felicidade.