A prefeitura
deverá fazer remanejamento de recursos do orçamento para garantir o reajuste de
salários que está propondo aos servidores do município. É que o orçamento de
2005, elaborado pela administração anterior à de Beto Richa, não reservou
dinheiro suficiente para cobrir o reajuste de salários.

O secretário
municipal de Finanças, Luiz Eduardo Sebastiani, explica que por determinação de
Beto Richa, a Prefeitura vai cancelar ações previstas para outras áreas,
inclusive obras, a fim de complementar o orçamento para a despesa de pessoal e
garantir o ajuste que propõe para os servidores.

 

"Estamos
concentrando esforços e fazendo estudo minucioso para que esse remanejamento de
recursos ocorra de forma responsável para com os servidores e para com a
sociedade", explicou o secretário.

 

A Prefeitura
está propondo reajuste de 6%, que repõe integralmente a inflação dos últimos 12
meses medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do IBGE. O
reajuste será pago em duas parcelas: 3% em julho e mais 3% em dezembro.

 

Segundo
Sebastiani, da forma como está sendo proposto pela Prefeitura, o reajuste gerará
acréscimo anual de R$ 21 milhões na folha de pagamento. A despesa com pessoal
passará de R$ 665,7 para R$ 686,7 milhões ao ano.